Selam faz visita técnica e discute modelo de gestão para esporte de competição

Com a finalidade de discutir políticas públicas voltadas ao esporte de competição, o secretário de Esportes, Lazer e Atividades Motoras (Selam), Hermes Balbino, e o assessor especial de projetos, Sérgio Camarda, visitaram na última quinta-feira, 12/08, a Fundação Pró-Esporte de Santos (Fupes). A reunião, que teve as presenças do diretor presidente da fundação, Cristhian Martins Pereira, da diretora de marketing, Danielle Zangrando, e do diretor técnico, Cauê Ricco, aconteceu na sede da Fupes, na Baixada Santista, e foi viabilizada pelo deputado estadual Caio França (PSB), por meio do assessor Vinícius Santos Oliveira.

Visita da equipe Selam à Fupes, em Santos

Visita da equipe Selam à Fupes, em Santos (Foto: Divulgação)

A Selam considera diferentes modelos de gestão para fomentar o esporte em Piracicaba, por meio de sistemas que facilitariam não apenas a destinação de recursos para o esporte de alto rendimento, mas também as parcerias com as associações esportivas. “Realizamos uma visita técnica à Fupes, fomos muito bem recebidos e conhecemos o modelo que eles utilizam para o desenvolvimento do esporte de rendimento em Santos. Trata-se de um sistema vencedor, Santos tem atletas de ponta que competem em alto nível em diferentes modalidades”, destacou Camarda.

O assessor de projetos da Pasta afirmou que o alto rendimento, assim como as iniciativas educacionais, além dos programas de iniciação e formação esportiva, estão entre as prioridades da Selam. O planejamento não visa apenas a retomada das atividades físico-esportivas, assim que elas forem autorizadas pelos órgãos de saúde.

“Nós queremos realizar ações permanentes, para que o esporte em Piracicaba cresça de forma continuada. Não podemos pensar apenas no curto prazo. O modelo de fundação, por exemplo, também permite receber patrocínio direto de empresas. É uma possibilidade extremamente interessante e estamos trabalhando para isso. No caso de Santos, as empresas que apoiam a fundação e o esporte de alto rendimento recebem incentivo fiscal, o que é um fator motivador. Isso, claro, além da exploração da marca por meio do patrocínio”, completou Camarda.




‹ Voltar