Reconstrução do Complexo Aquático deve ser concluída no primeiro semestre

A reconstrução do Complexo Aquático Dr. Samuel de Castro Neves, que abriga as piscinas municipais, deve ser concluída no primeiro semestre de 2021. A projeção foi feita pelo engenheiro responsável pela obra, Luan Vieira Moraes, que estipula o prazo de entrega entre a segunda quinzena de abril e o início do mês de maio. A remodelação do espaço, que teve início em julho do ano passado, está a cargo da Spalla Engenharia Eireli, empresa vencedora da licitação. O valor total do contrato é de R$ 1.292.633,48.

O projeto contempla a divisão da piscina olímpica em duas: uma semiolímpica (25×25 metros), que poderá receber competições oficiais, além de atividades de iniciação e treinamentos, e outra medindo 12,5×25 metros, que será utilizada especialmente para aulas de hidroginástica e contará com uma rampa de acesso, conforme exige a NBR 9050 (acessibilidade pública). No intervalo entre as piscinas, será construído um deck em alvenaria, onde poderão ser instalados guarda-sóis e cadeiras. O espaço abrigará uma galeria técnica, facilitando a vistoria das novas piscinas, que terão sistema de aquecimento de água. A reconstrução inclui ainda novos equipamentos, como bombas e tubulações, e reduzirá o custo de manutenção.

Luan Vieira Moraes, engenheiro responsável pela obra de reconstrução do Complexo Aquático Dr. Samuel de Castro Neves

Luan Vieira Moraes, engenheiro responsável pela obra (Foto: Selam)

“A previsão inicial para a entrega era de 180 dias, mas o projeto sofreu alterações e as chuvas de janeiro e fevereiro impediram o trabalho que estamos executando agora: concretagem, levantamento das bordas e preparação para a impermeabilização, algo que devemos iniciar ainda nesta semana e é uma das fases mais importantes do processo. A nova previsão, conforme o aditivo, é que a obra seja concluída em maio, mas temos a expectativa de entregar o complexo no mês de abril”, afirmou o engenheiro.

De acordo com Moraes, três equipes – estrutural, hidráulica e impermeabilização – trabalham atualmente no local. “A população pode esperar um bom resultado. Estamos trabalhando com muita cautela, sem correr riscos. As chuvas, por exemplo, impediram a execução de alguns serviços, e decidimos manter o padrão de qualidade e segurança, sem acelerar as obras. Sabemos que a parte hidráulica, impermeabilização, aquecimento e a alimentação das piscinas não podem apresentar problemas para evitar transtornos posteriores”, completou.

CONTEXTO

Inaugurado em 1976, o Complexo Aquático Dr. Samuel de Castro Neves recebia cerca de 1.200 pessoas por semana, mas foi fechado em julho de 2018, quando apresentava vazamentos equivalentes a 125 metros cúbicos por dia. A reconstrução do espaço contemplou ainda a reforma integral dos quatro vestiários superiores, no piso do complexo aquático – as obras já foram concluídas pela empresa Carrone & Carrone, vencedora da licitação, e custaram R$ 107 mil. A Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras (Selam), avalia a possibilidade de também reformar as piscinas adaptada e de biribol.

Complexo Aquático Dr. Samuel de Castro Neves

As obras devem ser concluídas no primeiro semestre de 2021 (Foto: Selam)

“Nós buscamos valorizar a participação do cidadão, olhando para novas possibilidades de incrementar a iniciação e formação esportiva, além de eventos que envolvam a criação e o fortalecimento de uma cultura esportiva em Piracicaba. A nossa proposta também passa por explorar bem a pedagogia do esporte, sempre com uma projeção para quatro anos, realizando projetos consistentes. Nesse contexto, entendemos o valor que o complexo aquático tem para fomentar o esporte local, além de servir de espaço para atividades realizadas pelos diferentes programas promovidos pela Selam”, destacou o secretário Hermes Balbino.




‹ Voltar