Atletismo - boas marcas nos velhos tempos

Imprimir

Atletismo - boas marcas nos velhos tempos

 

 

 

Prof. Antonio Carlos Zinsly de Mattos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



atl_trofu_fem_copy

 

 

 

 

Quando falamos das glórias do esporte piracicabano, o atletismo é uma das modalidades que não pode ser esquecida. Ao lado basquete, masculino e feminino, esse esporte conquistou títulos importantes e revelou atletas que estiveram entre os melhores do país.

 

Basta citarmos nomes como Aparecida de Fátima Adão, Maria Tereza Ferreira, Mario Luis de Almeida Leme, Claudio Tavares Paiva, Maria José Ferreira, Antonio Arruda de Oliveira, Messias José Baptista, atletas que levaram o nome da cidade além de nossas fronteiras quando no auge de suas performances atléticas, conquistando títulos, medalhas, recordes em importantes competições e em várias categorias.

 

São atletas que se sagraram campeões estaduais e brasileiros, defendendo a equipe ou a seleção paulista. Atletas campeões sul-americanos e mundiais defendendo a seleção brasileira.

 

Aparecida de Fatima Adão, falecida em 14/fev/2015, competia nas provas de 800 e 1.500m e foi campeã sul-americana em 1977, campeã brasileira universitária de 1973 a 1981 e campeã paulista entre 1973 e 1979. Nesse período também foi recordista dos Jogos Abertos do Interior, porém nos 400m rasos e revezamento 4x400 metros. Encerrou a carreira em 1985 assumindo a direção técnica da equipe.

 

Maria Tereza Ferreira se especializou na prova dos 400m rasos e em razão disso integrava o revezamento 4x400m. Com dois anos de treinamento levantou o título de campeã brasileira infanto-juvenil, campeã sul-americana juvenil no Peru, na prova dos 4x400m, defendendo a seleção brasileira. Em 1976, com 18 anos de idade, foi campeã sul-americana no Equador e vice-campeã mundial na França, correndo os 400m rasos. Na oportunidade ganhou estágio na Alemanha. Em 1977, no Sul-Americano da Venezuela foi medalha de ouro nos 4x400m e prata nos 400m rasos. Repetiu o feito no torneio do México, em 1978, também com a seleção brasileira.

 

Especialista no lançamento do martelo, Mario Luis de Almeida Leme bateu o recorde estadual da prova em 2001. Possui 11 títulos de campeão brasileiro conquistados de 1993 a 2003. Integrou dez seleções brasileiras em Sul-Americanos e três em Ibero-Americanos. Foi técnico da seleção paulista nos campeonatos brasileiros, categorias juvenil e sub-23 em 2006 e 2007.

 

Claudio Tavares Paiva competiu de 1976 a 1984 e nesse período foi recordista sul-americano ao vencer a prova dos 1.500m rasos durante o campeonato brasileiro com o tempo de 4m07s5.

 

Maria José Ferreira foi campeã sul-americana juvenil defendendo a seleção brasileira em 1978. Mazé, como é conhecida, conquistou três medalhas na competição, sendo duas de prata nos revezamentos 4x100m e 4x400m e bronze nos 400m rasos com o tempo 57s.

 

Antonio Arruda de Oliveira venceu a prova do decatlo, válida pelos Jogos Abertos do Interior de 1975, conseguindo 5.700 pontos. O resultado foi homologado pela entidade competente como recorde sul-americano.

 

Temos que citar ainda o feito de Messias José Baptista, falecido em 11/set/2005, participante dos Jogos Olímpicos de 1996/EUA, classificando-se em 22º lugar na prova do salto triplo com a marca de 16,45m. Pouco importa a colocação conseguida, mas sim o fato de ter chegado a uma Olimpíada, conquista dificílima e o sonho de todo atleta.

 

Só que nessa época Messias já não defendia mais as cores da nossa cidade, pois acabou sendo contratado por clubes mais poderosos, em razão do seu ótimo potencial atlético. Porém, temos certeza que seu coração nunca deixou de ser piracicabano e por isso mesmo estivemos representados em Atlanta, naquela Olimpíada.

 

O quarteto integrado pelas atletas Fatima Adão, Maria Tereza, Marlene de Lima e Conceição Geremias foi responsável pela quebra do recorde estadual do revezamento 4x400m, conseguido durante o campeonato paulista de 1977, no Conjunto Esportivo do Ibirapuera, com o tempo de 3m47s9. As meninas venceram as melhores equipes de São Paulo e retornaram com a medalha de ouro balançando no pescoço e a fama de recordistas, fato que consagra a passagem do quarteto pela história de um atletismo vencedor.

 

Muitas vitórias e bons resultados ocorreram em competições diversas, envolvendo centenas de atletas em estaduais, Troféu Brasil, Jogos Regionais, Jogos Abertos do Interior, Troféu Bandeirante, torneios universitários, etc. entre 1971 e 1998, período que define as três décadas mais importantes do nosso atletismo, uma equipe integrada por atletas preparados pelo Prof. Ídico Luis Pellegrinotti, o popular Deco, e também pela Profª Aparecida de Fatima Adão que atuou como treinadora de 1986 a 1998.

 

Nas três décadas citadas acima, apenas em Jogos Regionais e Jogos Abertos do Interior a equipe conquistou 682 de medalhas, faltando ainda apurar 1972, ano que não encontramos boletins oficiais.

 

Vários nomes se destacaram no decorrer do período, como Arlete Gabriel (falecida em fev/1999), Denise Schiavinatto, Margarida Arruda, Tania Fischer, Regina Bernardino, Eva Dias, Erica Eugenio, Rosana Nicolau, Sonia Soledade, Lucilene Lonardoni, Wlamir Eleuterio (FIFI), Osvaldo Miguel (Niva), Luiz Carlos Honorio (Pelezão), Eluiz Bueloni, Genesio Greguer, Zé Luiz dos Anjos, Marquinhos Leme, Carlos Dalcin, Marcos Guimarães (Capacete), Edialfre Carvalho, Amarilio Britto, e muitos outros que jamais serão esquecidos pelos amantes do atletismo.

 

Em décadas anteriores, bons valores já se destacavam defendendo a cidade, porém apenas em Jogos Regionais e Abertos do Interior. Caso de Getulio Quadros, Josué Carneiro, nos anos 1960, e Eloy Giacomellis e Epaminondas Ferraz, ambos alunos da ESALQ, que conquistaram muitas medalhas nas provas de salto triplo, extensão e altura em competições dos anos 1950.

 

Hoje, bastante saudoso, ainda guardo em mim a satisfação dos grandes momentos dessa modalidade que um dia tornou nossa cidade referência no atletismo estadual e brasileiro, registrando boas marcas nos velhos tempos.

 

atl_folha_03

 

atl_folha_04

 

atl_folha_05

 

atl_folha_06

 

atl_folha_07

 

atl_folha_08

 

atl_folha_09

 

atl_folha_10

 

atl_folha_11

 

atl_folha_12

 

 

TOP 10 dos medalhistas em Jogos Regionais e Jogos Abertos do Interior nas décadas de 1970 / 80 / 90

 

feminino ouro prata bronze total
Maria José Ferreira 46 32 22 100
Maria Teresa Ferreira 39 17 13 69
Aparecida de Fatima Adão 20 21 17 58
Eva Batista Dias 21 21 10 52
Regina Bernardino Fernandes 18 6 8 32
Maria Cristina Lopes Ribeiro 10 14 7 31
Margarida C. Arruda de Oliveira 7 10 10 27
Ana Silvia da Silva Dias 1 9 10 20
Rosana Terezinha Nicolau 6 5 6 17
Denise Teresinha Schiavinato 6 4 5 15
Sonia Ercilia Fortunato Soledade 6 4 5 15
masculino ouro prata bronze total
Vlamir Eleuterio - Fifi 23 11 12 46
Osvaldo Miguel - Niva 12 4 5 21
Marcos Antonio Almeida Leme 3 8 8 19
Carlos Dalcin 12 3 3 18
José Luiz dos Anjos 7 3 7 17
Antonio Arruda Oliveira - Olaria 6 6 5 17
Mario Luis de Alemida Leme 8 5 3 16
Amarilio R. José de Britto - Lilo 5 3 6 14
Nivaldo Antº Romão de Barros 11 1 2 14
Eluiz Elias Bueloni 5 5 2 12
Herivelto Stolf 7 2 3 12
Luiz Carlos Honório - Pelézão 5 4 3 12

 

Relação de atletas e provas - clique aqui

 

Escrito por Antonio Carlos Zinsly de Mattos
Sáb, 02 de Abril de 2016 16:25